Vai criar uma loja virtual? Saiba como fazer isso

Muitas pessoas desejam criar uma loja virtual. Cada uma delas tem suas preferências, pois estão dando seus primeiros passos nessa área de e-commerce. Nesse caso, o vendedor fica em dúvida sobre como abrir a loja virtual, já que existem milhares de formas de fazer isso. Dependendo do caso, cada pessoa tem uma preferência que se encaixa em uma das várias possibilidades. Cada uma delas vai depender do quanto o vendedor está disposto a investir, a quantidade de produtos inicias, o nicho de vendas (o que será vendido), dentre outros detalhes.

Você realmente precisa vender?

Antes de sair gastando dinheiro, esteja ciente de que uma loja virtual própria terá vários tipos de gastos, além de muitos outros fatores que vão fazer parte da rotina de vendas. Então, além de se preocupar em vender, pense que você terá de se preocupar com formas de pagamento, que pode ser cobrado taxas, o frete, o tipo de produto que você vende, isso tudo influencia nos seus gastos.

Pense e planeje bem se a loja virtual é o que você realmente precisa nesse momento. Se o seu dinheiro é capaz de suportar à longo prazo os investimentos da loja online. Feito isso, se você estiver determinado a abrir sua loja, serão apresentado abaixo, algumas dicas para começar a vender.

A sua loja virtual 

O termo “loja” é abrangente. Há lojas de todos os tipos, gostos, preços, promoções variadas e formas de venda diferente. Dependendo do que você for vender, o produto pode ser facilmente entregue, como pode pedir mais atenção do vendedor. Vejamos alguns exemplos de diferentes lojas virtuais:

  • Loja de produtos virtuais: São lojas cujo não necessitam de um frete. Esses produtos podem ser entregues diretamente no seu e-mail após a compra. Tais produtos podem ser: Temas para sites, fotos em alta resolução, licenças de softwares, downloads de aplicativos, além de outras ferramentas cujo a utilidade é apenas virtual, não necessitando de um produto físico a ser entregue na residência ou empresa do cliente.
  • Loja de produtos de pequeno porte: São lojas cujo são feitas vendas de produtos mais simples, mas que as pessoas precisam comprar para a utilidade no dia-a-dia. Essas lojas vendem produtos como: roupas, objetos pequenos de decoração, papel, carteira, materiais acadêmicos (lápis, canetas personalizadas, estojos, réguas), livros, capinhas de celulares, Smartphone, etc.
  • Lojas de produtos de médio porte: essas lojas vedem produtos um pouco mais pesados. Podem ser livros maiores, caixas de som, cadernos, jogo de cama, decoração, ferramentas e outros acessórios.
  • Lojas de produtos de grande porte: São produtos que requerem mais atenção e cuidado no transporte. Podem ser frágeis e precisam estar muito bem embalados. Televisão, ventiladores,  lâmpadas maiores, abajur, madeira, bancos, objetos montáveis, etc.
  • Lojas de consumo imediato: nesse caso, o jeito correto de se dizer é produtos alimentícios. Frutas, verduras, cereais, sucos, pizzas, esfihas, entre outros.
  • Lojas de produtos farmacêuticos: Todo o tipo de remédio, com a apresentação da receita médica, existem farmácias que entregam os remédios diretamente na residência do cliente. A maioria delas também vendem cosméticos.

Enfim, são infinitas lojas que a cada dia estão nascendo, e outras, infelizmente morrendo. E aí, qual das categorias sua loja está inserida?

Investimento e cuidados

Cada tipo de loja requer uma atenção especial. Se sua loja está nos produtos de pequeno e médio porte, sua chance de investir terá um custo baixo no começo, assim como a remuneração. Nesse caso, tenha paciência. Investir em produtos pequenos é um bom começo para iniciar as vendas, principalmente se é a sua primeira vez. É sempre mais difícil no começo, pois é natural você investir um pouco mais do que receber. Nessa etapa, o mais importante é as pessoas conhecerem sua marca, para depois expandir o fornecimento de mais produtos.

Garantir a qualidade dos produtos inicias e a satisfação dos compradores, é prioridade. É importante você ter o feedback de cada um, assim você entende o processo e se houver problemas em comum, você saberá a tomar medidas em conjunto. Nunca fique no “quero quero” quando está dando os primeiros passos. Garanta a qualidade nas vendas iniciais, e conforme suas vendas forem crescendo, inclua novos produtos na lista.

Caso sua loja estiver nos produtos de grande porte, suas vendas iniciais serão muito lentas, já que o consumidor não sabe se sua loja é segura ou não, afinal, ele tem total direito de desconfiar da sua loja. Produtos de grande porte tem sempre um preço elevado, e o consumidor pode optar por comprar em lojas mais conhecidas. O que você pode fazer nesse caso, são parcerias. Crie afiliações, use referências de lojas maiores, conheça pessoas que queiram investir no seu site para sustentá-lo até você aprimorar a segurança de vendas. Produtos com preços elevados tem uma frequência de venda menor, então, para não ficar com a loja sem vendas, mostre sua transparência, conquiste o comprador com marketing, e tente fornecer produtos de médio porte.

Para lojas de produtos alimentícios, como por exemplo, pizzarias, a divulgação e a qualidade da alimentação deve ser exageradamente alta e transparente. Restaurantes que não oferecem transparência no processo de produção até o alimento estar pronto, as pessoas não comprarão e o feedback será negativo, sem falar de riscos de reclamações no site Reclame aqui, e denúncias no Procon. Tome muito cuidado se sua intenção é de abrir um restaurante, já que ele deve ser altamente divulgado antes de ser oficialmente aberto, se não os pedidos serão baixos, a produção dos alimentos será pequena, sem contar que eles podem estragar rapidamente. Farmácias também devem estar atentas a esse mesmo processo.

Hospedagem da loja virtual

A hospedagem vai variar de acordo com o quanto o vendedor estiver disposto a investir e dedicar-se ao site. Certos tipos de escolhas causam desvantagens em outros processos. Veja abaixo algumas plataformas que permitem abrir lojas virtuais e qual as perdas que o vendedor poderá ter ao escolher cada uma:

WordPress.org

Abrir uma loja usando o WordPress dá ao usuário vendedor uma alta capacidade de controle das vendas, além de ser muito autônomo ao estruturar a loja do jeito que imaginar. Começar uma loja no WordPress é uma boa opção para aqueles que exigem uma liberdade de personalizar do jeito que quiserem.

Desvantagens: O WordPress requer uma hospedagem, uma plataforma para ser hospedado. Você deve contratar um plano anual para dar os primeiros passos na plataforma. Encontre alguém de confiança que possa te dar suporte, e outra que possa fazer a instalação do WordPress na plataforma contratada. Também vai exigir muito da sua atenção, principalmente se você está querendo abrir a loja por conta própria ou com um parceiro(a). O site será seu e e só você irá gerenciá-lo. O que certamente irá puxar muito do seu tempo, pois você irá levantar os pilares da sua loja com as próprias mãos, sendo tudo uma configuração manual. Além disso, você deverá comprar um domínio para usar.

WordPress.com ou Blogger

Ambas não requerem hospedagem nem a obrigatoriedade de adquirir um domínio. Se você ainda está muito inseguro, sugiro que de início compre o domínio para registrar sua marca. Isso após ter criado todo o site e a logomarca. Nessas duas plataformas você tem recursos básicos e necessários para o ponto de partida.

Desvantagens: embora seja mais simples começar com as duas plataformas acima, não pense que você terá todos os seus desejos realizados, pois ambas tem limitações e coisas que você gostaria de usar estão indisponíveis pelo fato de serem gratuitas. O gerenciamento das duas é bem limitado e você só poderá usar os recursos disponíveis. Futuramente, há a possibilidade de realizar a migração da plataforma gratuita para o WordPress.org, que possui mais liberdades.

WhatsApp

Quem disse que um simples app de smartphone não pode ser a própria loja virtual? Não necessariamente o vendedor precisa er um site para vender. Dependendo do que a pessoa está disposta a oferecer, o simples fato de você conversar diretamente com o comprador pelo app, pode ser a solução mais simples e eficaz.

Desvantagens: O WhatsApp requer o seu número de telefone para você conversar com seus clientes. Divulgar seu negócio pelo app vai exigir que todo e qualquer cliente conheça seu número. Isso pode trazer insegurança para sua parte, correndo o risco de ser hackeado e ter o celular roubado. Nesse caso, tenha um celular apenas para este tipo de venda, nunca exponha seu celular pessoal.

Facebook e redes sociais

Redes sociais são uma ótima fonte de divulgação e facilidade para o comprador te encontrar. Basta criar uma página com a loja virtual, compartilhar, e vender. Sem contar que com um pequeno investimento, você pode criar anúncios e impulsionar publicações para que muitas pessoas vejam sua marca.

Desvantagens: O Facebook é apenas uma referência da sua loja, e não uma plataforma de compra online. A rede social é apenas o seu marketing, não o seu mercado. Você pode criar e colocar os produtos da sua loja na rede social, mas você deve colocar um link externo para que a compra possa ser realizada. Ou seja, você deve vincular o Facebook com um link externo, que pode ser seu site, uma outra plataforma de compras ou seu sistema de pagamento. Mais detalhes desse assunto você verá no último tópico.

WIX

O WIX é um site que constrói sites em flash. É literalmente à gosto do freguês. Ele permite arrastar as ferramentas e posicioná-las da maneira como você imaginar. Ele permite sua imaginação fluir com base em modelos prontos ou começar um site do zero. Não há muito segredo em mexer na plataforma.

Desvantagens: O site tem o domínio inicial gratuito, e esse domínio é muito desagradável em manter-se gratuitamente. Se sua ideia é construir um site no WIX, já compre um domínio disponível, pois o URL da sua loja poderá ter sua marca registrada sem depender de domínio gratuito. Outra coisa desagradável é que alguns recursos interessantes são limitados, já que o site te pressiona para contratar um plano premium mensal.

Sites de criação na web

Ao pesquisar no google “criar loja virtual” irá aparecer centenas de sites que oferecem serviços de criação da sua loja virtual. Basta você pagar a quantia do plano mensal que eles pedem, e eles cuidam do resto. Você não precisa se preocupar com nada, já que o serviço deles prometem uma série de recursos.

Desvantagens: nem sempre o plano mensal é satisfatório. Há um paradoxo nesses casos. Você está criando uma loja virtual para fazer suas vendas e ganhar dinheiro com seu e-commerce. O problema é que a quantia exigida mensalmente será muito maior do que as vendas que você vai conseguir. isso significa gastar mais para ter menos. Esses tipos de lojas só funcionam para clientes que já possuem uma renda financeira mais elevada, onde o gasto mensal com esses sites não significa muito. Para os iniciantes que precisam de um lucro inicial não vale a pena.

Domínio

Sites eficientes em domínios para registrar sua marca, são o UOL HOST e o Registro.br. Verifique se o nome está disponível para ser contratado, e boa sorte! Vale lembrar que, se o domínio está registrado, isso independe do sites de hospedagem. Vá tentando os nomes até encontrar um que esteja disponível. Sugiro que antes de criar a loja, verifique se o domínio já não está registrado. Com tantos sites que existem hoje em dia na web, fica difícil achar um que nos satisfaça. Lembrando que você pode optar por ser (.com, .com.br, .net, .org). Até seria legal comprar ambos os domínios (.com e .com.br), assim seu site se torna único e independente se o usuário digitar com esses termos, o link será redirecionado para o mesmo site.

Último detalhe: o pagamento e o envio

Os planos que você contrata nesses sites, geralmente já incluem os meios de pagamento, envio, registro de domínio e estrutura da loja. Caso você esteja construindo sua loja manualmente pelo WordPress.org por exemplo, você deve incluir os meios de pagamento que o cliente pode ter ao fazer a compra, como PayPal, PagSeguro, Moip, entre outros. Cada um deles dá suporte a pagamentos em cartão, e outros em boletos. São bastante conhecidas e usadas por muitos vendedores. Cadastre-se em pelo menos um deles, leia seus termos e condições, e incorpore-os em suas vendas online. Cada venda que você faz essas empresas coram uma pequena taxa de serviço, o que encarece um pouco mais o produto.

O frete também deve ser pesquisado. Aqui no Brasil, a empresa Correios, é a principal em fazer as entregas. Dependendo do produto, a empresa vai cobrar mais caro pelo peso, ou pelo volume que ele ocupa. Por exemplo: uma bandeja de metal tem um volume maior no transporte, pois ocupa mais espaço, e não é muito pesada. O preço do transporte será baseado no volume. Uma caixa de som razoavelmente grande pode não ocupar tanto volume, mas tem um peso grande. O frete será calculado pelo peso. Ou seja, o frete será calculado com base no que for maior.

Se você está criando com o WordPress.org, existem plugins que permitem incorporar o sistema de pagamento e o cálculo do frete diretamente no site. o WooCommerce é um excelente plugin para fazer essa tarefa.

Espero ter esclarecido bastante coisa aos vendedores que desejam abrir suas lojas virtuais, e desejo o maior desempenho em suas vendas. Se houver dúvidas ou dificuldades com isso, comente aí em baixo, vou fazer o máximo para ajudar. ;)

Links úteis:

Programa de afiliados: o que seria?

Crie um domínio para o Blogger (Passo a passo)

Ganhar dinheiro com a internet? #SãoParaPoucos

Veja também:

Cuidado com seus estranhos seguidores no Twitter
O poder do 'Like' na internet

Enrico Prenholato

Com paixão pela tecnologia e compartilhamento de informação idealizou a criação desse blog. Seu objetivo é compartilhar suas experiências de forma simples e didática aos seus leitores. Profissionalmente realizou cursos de informática, Hardware, Inglês e TI.